Metas Internacionais de Segurança

Metas Internacionais de Segurança | Você sabe o que são e como funcionam no Home Care?

Não há dúvida que um conceito fundamental na hora do cuidado à saúde, seja ele feito em casa ou no hospital, é a segurança do paciente nos procedimentos realizados. Por isso, as Metas Internacionais de Segurança são importantes.

E quando tocamos no tema segurança, alguns pontos precisam ser levados em consideração, já que, sem os devidos cuidados, não conseguimos estabelecer atendimentos eficazes e assertivos.

A Organização Mundial de Saúde – OMS e a Joint Commission International – JCI, uma das mais importantes entidades de certificação de qualidade na saúde do mundo, elaboraram metas para diminuir a incidência de erros e melhorar a qualidade dos cuidados feitos em ambientes hospitalares e domésticos.

As metas internacionais de segurança do paciente consistem em seis diretrizes que estimulam desde a comunicação efetiva com os pacientes até a diminuição de riscos de quedas e lesões por pressão.

De acordo com a própria OMS, mais de 138 milhões de pessoas são afetadas todos os anos por algum tipo de erro médico no mundo. O estudo mostra que, dos casos registrados, mais de 2 milhões de pacientes morrem em decorrência de métodos mal executados.

Erros como diagnósticos errados, prescrições de medicamentos sem a devida orientação e o uso inadequado de alguns fármacos foram os principais problemas registrados durante a pesquisa.

Quando o tratamento é feito em casa, mesmo com uma boa estrutura e acompanhamento profissional, a atenção deve ser redobrada com algumas possíveis imprecisões. 

Conheça as Metas Internacionais de Segurança do Paciente que a Pronep implementou como forma de oferecer um atendimento mais adequado e proporcionar excelência no cuidado assistencial:

  • Meta 1 – Identificar os pacientes corretamente

Os dois identificadores escolhidos pela Pronep para assegurar a identificação correta do paciente são nome completo e data de nascimento. Estes dados são registrados no sistema eletrônico, nas etiquetas de identificação e em todos os insumos e produtos enviados à residência. 

Os profissionais que prestam atendimento são orientados a sempre checar os dados antes de realizar qualquer tipo de tratamento ou procedimento. 

  • Meta 2 – Melhorar a efetividade da comunicação

A nossa comunicação é feita por via eletrônica, verbal ou escrita. Sendo assim, para garantir a efetividade da comunicação, todas as solicitações de medicamentos, considerando também as alterações de prescrição médica, hemoderivado ou qualquer outro tratamento e procedimentos solicitados via verbal ou telefônica, bem como a emissão de laudos de exames críticos pelas mesmas vias, deve ser aplicado o read back.

O read back é uma técnica de releitura, ou seja, quem solicita fala pausadamente, quem escuta anota, se necessário pede para que seja soletrado, e por meio da leitura do que foi anotado confirma ao solicitante a informação. 

  • Meta 3 – Melhorar a segurança dos medicamentos de alta-vigilância
Medicamentos de alta-vigilância

Os medicamentos de alta-vigilância são aqueles que frequentemente estão relacionados a danos aos pacientes. Um problema de segurança muito mencionado é a administração não intencional de eletrólitos concentrados e de medicamentos com nomes e sons semelhantes.

Desta forma, para reduzirmos os eventos adversos e danos aos pacientes, implantamos medidas de segurança, padronização e simplificação dos processos de uso e gerenciamento.

Quando enviamos este tipo de medicamento para a casa do paciente, identificamos com etiqueta vermelha e também os acondicionamos em maleta vermelha, a fim de ficarem destacados dos outros medicamentos.

  • Meta 4 – Assegurar cirurgias com local de intervenção correto, procedimento correto e paciente correto. 

Esta meta não se aplica à Atenção Domiciliar, já que procedimentos cirúrgicos não são realizados em casa.

  • Meta 5 – Reduzir os riscos de infecções associadas aos cuidados de saúde 

Os riscos de infecções em casa se tornam menores. Entretanto, contamos com o suporte especializado do Serviço de Controle de Infecção Domiciliar (SCID), que acompanha os casos e personaliza os cuidados em situações específicas. 

Para tal, trabalhamos a importância da higienização das mãos na prevenção da transmissão das infecções relacionadas à assistência à saúde, que pode ser feita com água e sabão comum, água e sabão antisséptico ou preparação alcoólica 70% (álcool gel).  

  • Meta 6 – Diminuir os riscos de danos decorrentes de quedas e lesão por pressão

Considerando o grau de risco do paciente, o tipo de paciente, a dificuldade do serviço e o ambiente do cuidado, instituímos um programa de redução de quedas e lesão por pressão. O trabalho consiste na avaliação e reavaliação, com aplicação de scores, de todos os pacientes e suas residências ao longo do atendimento. O intuito é identificar as propensões (riscos), estabelecer as medidas preventivas e orientar a equipe multiprofissional que atende o paciente e em especial a família/cuidador, favorecendo assim a segurança do paciente.

A Pronep coloca em prática todas essas medidas, porque realiza os seus serviços reforçando o compromisso com a qualidade, segurança e bem-estar de todos os pacientes. Para nós, segurança é inegociável. Tanto é que é o primeiro e mais importante valor no Estatuto de Missão, Visão e Valores da Pronep Life Care.

Somos uma empresa respeitada e que cuida das mais variadas situações, pensando sempre em suprir as necessidades e tornar tudo mais acolhedor para cada paciente e família.